O afrofuturismo na música brasileira em debate na UNIAESO


Produção Fonográfica
maio. 13, 2021

O debate é uma realização da disciplina de História da Música, ministrada no curso de Produção Fonográfica da IES

Para debater sobre as influências africanas na música contemporânea, o Centro Universitário AESO-Barros Melo- UNIAESO convidou GG Albuquerque e Rafael de Queiroz, dois pesquisadores que estudam sobre essas temáticas, para conversa com alunos da instituição e público externo interessado pelo tema. O encontro acontece, através do Canal do Youtube da UNIAESO, no dia 20/05, às 19h.

Durante a palestra, os participantes discutem desde o afrofuturismo na música brasileira às músicas periféricas nacionais e do continente africano. Segundo Ricardo Maia, coordenador do curso de Produção Fonográfica da UNIAESO, e organizador do encontro, “a meta principal é falar das temáticas silenciadas pela história oficial eurocêntrica em que a identidade africana é apagada. Na música, há um laço muito forte com as influências da África, principalmente após o século XX”, detalha.

O debate é uma realização da disciplina de História da Música, ministrada para os primeiro e segundo períodos do curso de Produção Fonográfica. Os alunos irão roteirizar as questões para os entrevistados e, alguns, também participarão como entrevistadores, tendo o professor Ricardo Maia como mediador.


Palestrantes:
GG Albuquerque é jornalista e doutorando em Estéticas e Culturas da Imagem e do Som pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Escreve o blog Volume Morto e é co-fundador do Embrazado, portal jornalístico e podcast dedicados às culturas musicais das periferias brasileiras.

Rafael de Queiroz é radialista, com mestrado e doutorado em Comunicação pela UFPE. Atua na interface desse campo com a música, com ênfase nos processos políticos e estéticos do Atlântico Negro. Defendeu em julho de 2020 a tese “FOGO NOS RACISTAS! Epistemologias negras para ler, ver e ouvir a música afrodiaspórica”, em que abrange pensadorxs negrxs e suas teorias para interpretar produtos midiáticos musicais de artistas negrxs. Atualmente desenvolve no PPGCOM da UFBA o pós-doutorado investigando o afrofuturismo na música popular brasileira.


Afrofuturismo na música contemporânea
20/05, às 19h.
Através do Canal do Youtube da UNIAESO

produção fonográfica -

voltar